JARDIM BOTÂNICO - PARQUE LAGE



Situado à Rua Jardim Botânico, na encosta da Serra da Carioca, na base do Morro do Corcovado, é composto pela mansão, jardins, grutas, o torreão, o calabouço dos escravos, lagoa, represa e um mirante, do qual existem ruínas. Nele existem 143 espécies de árvores, sendo 31 delas de singular importância.

A história registra que em 1811, Rodrigo de Freitas Mello e Castro adquiriu de Fagundes Varela o Engenho de Açúcar Del Rei, às margens da lagoa que hoje leva o seu nome. O Parque foi projetado pelo paisagista inglês John Tyndale, em 1840. Em 1859, Antônio Martins Lage, adquiriu a propriedade dos Rodrigo de Freitas e ela passou a chamar-se Chácara dos Lage. Em 1900 ela foi transferida para os seus três filhos: Alfredo, Roberto e Antônio Martins Lage Filho. Em 1913, a Chácara foi adquirida pelo Dr. César de Sá Rebello, mas em 1920 voltou aos Lages comprada por Henrique Lage, filho de Antônio Martins Lage Filho.

Henrique Lage como único proprietário da Chácara, mandou construir a mansão e contratou para isso o arquiteto italiano Mario Vodret, como projetista. O seu estilo é Eclético, bem ao gosto da personalidade da cantora lírida Gabriella Bezanzoni Lage, esposa de Henrique Lage, que transformou a mansão num dos lugares mais efervescente da cultura do Rio de Janeiro da época. A pintura decorativa das paredes e do teto é de autoria de Salvador Payols Sabaté e os azulejos e ladrilhos foram importados da Itália.

A senhora Gabriella fundou, em 1936, a Sociedade do Teatro Lírico Brasileiro, tendo como alunos Paulo Fortes e Violeta Coelho Netto de Freitas. Em 1948, passaram a morar na Mansão, os sobrinhos-netos de Gabriella: Marina e Arduíno Colasanti, que lá viveram até a adolescência. Nos anos 50 a mansão ficou célebre pelas suntuosas festas que Gabriella promovia, tendo inclusive recebido o artista Tyrone Power.

Henrique Lage teve problemas econômicos com o Banco do Brasil e teve de entregar parte de seu patrimônio, como ressarcimento das dívidas contraídas com o Banco, outra parte foi vendida a uma empresa particular. Para que o Parque fosse conservado, ele foi tombado como Patrimônio Histórico e Artístico, pelo Governador Carlos Lacerda. Atualmente nele funciona a Escola de Artes Visuais, que antes funcionava na Praia Vermelha, além de ser uma importante área de laser da cidade.

As duas fotos mostram a imensa área verde que constitui o Parque Lage, uma mostra sua inserção na região do Jardim Botânico, da Lagoa
e do Leblon, a outra um detalhe do Jardim Botânico. Em ambas pode se ver o destaque da mansão do centro do parque.



Vistas da Mansão do Parque Lage



Vistas dos jardins do Parque Lage






 
Retorna à página JARDIM BOTÂNICO -
O JARDIM BOTÂNICO E SUAS RELÍQUIAS




Retorna à página JARDIM BOTÂNICO
Retorna ao início da página