Centro Rua 1º de Março Esplanada Castelo Praça XV de Novembro Largo da Carioca Praça da República Av. Presidente Vargas Largo de S. Francisco
Avenida Rio Branco Praça Mauá Praça Marechal Âncora Lapa Santa Teresa Avenida Chile Praça Tiradentes

CENTRO - LARGO DA CARIOCA



Largo da Carioca

Nos tempos primitivos da cidade, uma lagoa que depois veio a ser denominada de Santo Antonio, era um lugar afastado, onde vinham banhar-se os índios mansos e também vinham beber água os bois do curral de D. Antonio de Marins, que morava no Morro do Castelo. Neste local afastado foi instalado, por Felipe Fernandes, um curtume, tendo sido ele o seu primeiro morador.

A história deste local está intimamente ligada ao Convento de Santo Antonio. O Convento teve sua origem em uma pequena ermida, que ficava às margens da lagoa que foi ocupada, em 1592, pelos freis franciscanos: Frei Antônio dos Mártires e Frei Antônio das Chagas. No entanto, sua construção só foi iniciada em junho de 1608 sob a presidência de Frei Vicente do Salvador e em 1615 foi inaugurada uma parte do Convento e a Igreja de Santo Antonio, onde foi rezada a primeira missa no dia 8 de fevereiro. Sua sacristia, de 1714, é uma das mais belas da cidade, possuindo pinturas no teto, painéis de azulejaria e o pisos de mármore com desenhos geométricos. Para drenar a lagoa, os religiosos franciscanos, abriram uma vala, transformando o banhado na Lagoa de Santo Antonio, o trajeto da vala deu origem a uma nova via chamada Rua da Vala, atual Rua Uruguaiana.

Em 20 de março de 1619 foi instalada no Rio a Fraternidade Franciscana Secular de São Francisco da Penitência e foi iniciada a construção da Capela da Ordem, anexa à Igreja do Convento, que foi inaugurada em 1622. Em 1633 foi iniciada a construção de um novo templo, que devido a desavenças entre a Irmandade e os frades e cisões entre os próprios membros da Irmandade, teve sua execução várias vezes suspensa e retomada.

A Igreja de São Francisco da Penitência como existe hoje, salvo pequenos detalhes, foi concluída em 1773, nela existem painéis de José Dias, que foi o primeiro pintor carioca e Caetano da Costa Coelho. Nela trabalharam também o entalhador Manuel de Brito, autor da talha da Capela-Mor e Francisco Xavier de Brito. Esta Igreja é uma das mais importantes da cidade e uma das jóias do Barroco brasileiro, tendo o seu interior decorado por talhas e altares dourados. No Rio só é rivalizada pela Igreja de Nossa Senhora de Monserrat do Mosteiro de São Bento. Em 1933 passou a funcionar no conjunto arquitetônico o Museu de Arte Sacra.

Em 1723 foi inaugurado no local o primeiro Chafariz da cidade;, o Chafariz da Carioca, depois substituído por um outro, construído em 1750, depois de drenada e aterrada a lagoa. Ambos eram abastecidos pelos Aquedutos que vinham do Morro de Santa Teresa, o segundo pelos Arcos da Lapa ou Aqueduto da Carioca. O Chafariz foi que deu o nome ao Largo. Em 1834 foi iniciada a construção de um novo Chafariz no mesmo local, sendo deste as imagens que geralmente aparecem nas pinturas e postais do Largo. Este chafariz foi concluído por volta de 1848, tendo sido projetado pelo arquiteto Grandjean de Montigny e foi demolido em 1925, quando era Prefeiro da cidade Alaor Prata.

Em 1748 foi iniciada a construção do Hospital da Venerável Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, que foi inaugurado em 1763 e que permaneceu no local por um século e meio, só tendo sido demolido na remodelação da cidade feita por Pereira Passos, no início do século XX, quando foi transferido para a Rua Conde de Bonfim, na Tijuca, onde se encontra até hoje.

Nos anos 50, uma parte do Morro de Santo Antonio foi demolida para que fosse concluído o Aterro Brigadeiro Eduardo Gomes, mas a parte onde estava localizado o Convento e as igrejas foi preservado. Com a demolição foram abertas as Avenidas República do Chile e República do Paraguai.




Largo da Carioca, foto tirada por Marc Ferrez, em 1890. Do lado esquerdo podem ser vistas as esquinas da Rua Treze de Maio e da Rua Santo Antonio, ao centro destaca-se o Chafariz da Carioca com suas 35 bicas de bronze, de onde se tirava a água que vinha pelo Aqueduto da Carioca para abastecer a cidade, do lado direito pode ser visto o Hospital da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, inaugurado em 1763. Atrás do Chafariz, entre ele e o Hospital ficava a ladeira de acesso ao Convento de Santo Antonio.

As duas fotos acima tiradas do Largo da Carioca mostram prédios que circundam o Largo da Carioca, na primeira em
segundo plano podem ser vistos prédios da Rua Treze de Maio e na segunda prédios do início da Rua Uruguaiana.

As duas fotos ao lado também mostram prédios em volta do Largo da Carioca, localizados na Avenida República do Chile e na Rua Senador Dantas, em fotos tiradas do Conjunto Arquitetônico do Convento de Santo Antônio. Na foto abaixo, tirada da Avenida Rio Branco pode se ver parte do Edifício Avenida Central e o Edifício do BNDES.

As duas fotos ao lado mostram em primeiro plano os muros do Conjunto Arquitetônico do Convento de Santo Antônio e a Praça Estado da Guanabara, na segunda pode se ver prédios da Avenida Nilo Peçanha. A foto abaixo mostra o Edifício Avenida Central e prédios da Avenida Nilo Peçanha.





Vista do Largo da Carioca com o Convento e Santo Antonio
e em segundo plano os prédios da BNDES e do Conjunto
Cultural da Caixa Econômica Federal que ficam na
Avenida República do Chile.

Vista da Estação do Metrô do Largo da Carioca, uma das
mais importantes e das mais utilizadas pela população
da cidade, ao lado do Edifício Avenida Central.


Retorna ao Início da Página



Convento de Santo Antonio

O Conjunto Arquitetônico do Convento de Santo Antonio é formado: do Convento que é o prédio longo que fica mais próximo da Avenida República do Chile, em seguida ligado a ele fica a Igreja do Convento dedicada a Santo Antônio e mais próximo da Rua da Carioca fica a Fraternidade Franciscana Secular de São Francisco da Penitência.

O Conjunto Cultural de São Francisco da Penitência que em 2015 foi completamente restaurado, está sendo preparado para o aniversário de 400 anos da Ordem no Rio de Janeiro que será comemorado em 2019, é composto de três corpos unidos que guardam no frontispício o mesmo ritmo de composição onde se encontram a Igreja de São Francisco da Penitência e o Museu de Arte Sacra.



A primeira foto acima mostra o Largo da Carioca onde está magnificamente inserido o Conjunto Arquitetônico do Convento de Santo
Antônio tirada da esquina com a Avenida Rio Branco, em primeiro plano pode ser vista a Praça Estado da Guanabara ao lado do
Edifício Avenida Central e ao fundo prédios modernos da Avenida República do Chile. A segunda apresenta uma vista do Convento
tirada da Cinelândia na esquina da Rua Treze de Maio, clicando aqui pode se ver uma pintura feita no mesmo local em 1845.
Abaixo vemos o Conjunto do Convento em foto tirada do prédio da Petrobrás e em seguida da esquina da Avenida República do Chile.



As duas fotos tiradas do Largo da Carioca, mostram todo o Conjunto Arquitetônico em dois ângulos.

As duas fotos tiradas da Avenida Rio Branco mostram a Praça Estado da Guanabara tendo ao fundo o Conjunto
Arquitetônico do Convento de Santo Antônio, ao lado o Edifídio Avenida Central e em segundo plano edifícios da
Avenida República do Chile.



A primeira foto também tirada da Avenida Rio Branco mostra a Praça Estado da Guanabara tendo ao fundo o Conjunto Arquitetônico do Convento de Santo Antônio e em segundo plano edifícios da Avenida República.

A segunda foto ao lado, tirada da Avenida Chile mostra o Conjunto Arquitetônico completo, inclusive com a escadaria de acesso, atualmente também pode se chegar ao Conjunto de elevador. A terceira foto mostra a Igreja do Convento dedicada a Santo Antônio.



A foto acima e a primeira ao lado mostram a Igreja de
São Francisco da Penitência, a segunda ao lado mostra
o prédio do Convento e duas vistas do prédio da
Fraternidade de São Francisco da Penitência.




Largo da Carioca Centro Cultural São Francisco
da Penitência
Rua Uruguaiana e
Rua da Carioca
Arcos da Lapa



Retorna à página CENTRO
Retorna ao início da página