Botafogo Botafogo
Enseada de Botafogo
Botafogo
Seu Interior
Botafogo
Avenida Pasteur
Botafogo
Praia Vermelha
Botafogo
Bairro da Urca

BOTAFOGO - BAIRRO DA URCA



Bairro da Urca

A Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro foi fundada entre os Morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, desde esta época foi dado o nome de Urca ao rochedo próximo do Pão de Açúcar, devido à sua forma como a de uma proa de embarcação holandesa, este rochedo descia diretamente para o mar, não havia passagem ao seu redor, que levasse ao Forte de São José. Este caminho começou a existir em 1870, quando um português começou a retirar pedras do local para vender e abriu um caminho para a Praia da Saudade, onde hoje fica a Avenida Pasteur, mas o caminho não foi concluído.

No Governo do Prefeito Carlos Sampaio, em 1922, o local foi aterrado com parte do desmonte do Morro do Castelo e aí surgiu um novo Bairro: o Bairro da Urca e foi aberta a Avenida Portugal. Esta obra foi executada pela Sociedade Anônima Empresa da Urca, e no contrato com a Prefeitura, ela se obrigava a construir um hotel balneário, em frente à Praia da Urca. Este hotel, em 1933, passou a abrigar o Cassino da Urca, mas com a proibição do jogo em 1946, pelo Presidente Eurico Gaspar Dutra, o Cassino foi fechado, mas em 1950 passou a sediar os estúdios da extinta TV Tupi, primeiro canal de televisão do Brasil, pertencente aos Diários Associados, de Assis Chateaubriand, que aí permaneceu até 1980, quando foi fechado. Atualmente pensa-se em abrir no local um Museu da Televisão.

O Bairro da Urca, um recanto dos mais aprazíveis da cidade, possui hoje um casario preservado com residências bastante luxuosas, características das décadas de 20, 30 e 40. Na Urca encontra-se o Sítio Histórico da Fortaleza de São João, que juntamente com a Fortaleza de Santa Cruz, em Niterói e a Fortaleza de Laje, localizada dentro da Baía de Guanabara, faziam a proteção da Cidade.


Vista do Bairro da Urca em volta do Morro da Urca, tendo atrás o
Pão de Açúcar, tirada do Botafogo Praia Shopping.

Vista do Bairro da Urca encravado em volta do Morro da Urca,
tirada do Mirante do Morro do Pasmado.

Vista de parte do Bairro da Urca com a Fortaleza de São
João e atrás o Morro Cara de Cão, tirada do Mirante do
Morro do Pasmado. O relevo ao fundo é de Niterói.

Vista da Praia da Urca, tendo em volta seu casario,
muito bem preservado.


Vistas do Bairro da Urca. As três primeiras tiradas do alto do Morro da Urca e as outras
tiradas de um passeio de barco pela Baía de Guanabara
.
Retorna ao Início da Página



Sítio Histórico da Fortaleza de São João

O Sítio Histórico

No Bairro da Urca e no Morro Cara de Cão fica localizado o Sítio Histórico da Fortaleza de São João que abrange toda uma região pertencente ao Exército Brasileiro incluindo a área onde nasceu a Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, fundada por Estácio de Sá em 1o de março de 1565, então um simples Fortim formado de três redutos ou baterias, mas que se constituiu o início da cidade e da Fortaleza de São João.

Neste local, Estácio de Sá e seus companheiros, durante longos dois anos resistiram aos ataques dos franceses e dos índios Tamoios, que naquela época dominavam a região e estabeleceram sua base para o lançamento das batalhas contra os invasores franceses.

Em 1567 a cidade foi transferida para o Morro do Castelo, por seu tio Mém de Sá, Governador Geral do Brasil, após as lutas que resultaram na expulsão dos franceses, mas Estácio de Sá morreu em combate. Em 1578 foi fundado o forte maior, o Forte de São José o terceiro forte mais antigo do país.

A Fortaleza de São João evoluiu e em 1618 entrou em serviço oficialmente constituída de quatro redutos: São José; São Teodósio; São Martinho e São Diogo, com um total de 30 bocas de fogo.

Em 1710, juntamente com a Fortaleza de Santa Cruz, as fortificações impediram que a esquadra francesa de Duclerc invadisse e pilhasse a cidade, mas julgando que a derrota esmoreceria os franceses, o Governador Francisco de Castro Morais determinou a redução de munição nas fortalezas da cidade e em 1711 o Almirante francês Duguay-Troin cruzou a Barra e levou seus navios para ancorar diante da atual Praça XV de Novembro, saqueando a cidade e prendendo o Governador. Em virtude deste fato, em 1715, o Governo Português recomendou que as Fortalezas da Barra fossem levadas à perfeição, o que de fato aconteceu, dando grande segurança à cidade.

Em 7 de setembro de 1872, como parte das festividades do cinqüentenário da Independência, o Forte de Sao José foi reeinaugurado pelo próprio Imperador D. Pedro II. Totalmente restaurado recebeu quinze novos canhões anticarga Whitworth calibre 75 mm nas casamatas e mais vinte canhões de calibre menor.

O que hoje é conhecido como o Sítio Histórico da Fortaleza de São João abrange: o Museu de Desporto do Exército; a Escola Superior de Guerra; a Escola de Educação Física do Exército; o Instituto de Pesquisa de Capacitação Física do Exército; a Praça de Fundação da Cidade na Praia de Fora; os Redutos de São Martinho, São Diogo, e São Teodósio; a Bateria Marques Porto e o Forte de São José que abriga uma Exposição da História do Brasil e da cidade.

O Forte de São José fica localizado numa das pontas da Barra da Baía de Guanabara, encravado no Morro Cara de Cão e juntamente com a Fortaleza de Santa Cruz e a Fortaleza de Lage formavam a principal defesa da Baía, considerada de excelente segurança. O Sítio atualmente encontra-se aberto à visitação pública com visitas guiadas.



A foto ao lado mostra o Forte de São José encravado na extremidade do Morro Cara de Cão, um verdadeiro mirante secular aberto para a Baía, onde de suas casamatas esculpidas na pedra, há muito aposentadas, se descortina um panorama dos fortes de Niterói e da entrada da Baía.

Aqui pode se ter uma visão do Sítio Histórico em fotos tiradas do alto do do Morro da Urca, mostrando o Morro Cara de Cão e todas as instalações do Exército que funcionam no local. As duas últimas fotos mostram o Bairro da Urca e a área do Sítio Histórico tiradas da saída da Baía de Guanabara a bordo do navio MSC Sinfonia.

As fotos abaixo foram tiradas na visita ao Sítio Histórico e mostram o prédio onde funciona a Escola Superior de Guerra
e outras instalações, o busto do Duque de Caxias, Patrono do Exército Brasileiro no Reduto São Martinho e outros
Redutos que são encontrados no caminho para o Forte de São José.

Museu do Desporto do Exército


O Museu do Desporto do Exército mostra as conquistas do
Exército em diversas modalidades de esportes, com a exposição de
troféus e taças conquistadas por seus atletas e faz homenagens a
figuras tradicionais do esporte brasileiro como João Havelange. Em
sua área externa pode se ver o busto do Barão Pierre de Coubertim -
Pai das Olimpíadas da Era Moderna, mostrado na última foto.

Escola de Educação Física do Exército

Praça da Fundação da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro

O Sítio Histórico da Fortaleza de São João abriga em seu interior o local da fundação da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro onde hoje existe a Praça da Fundação inteiramente conservada e aberta à visitação pública. Esta Praça que é um dos pontos históricos dos mais importantes da cidade fica à beira da Praia de Fora ao lado do sopé do Morro do Pão de Açúcar em um local que se descortina uma explêndida paisagem da entrada da Baía de Gunabara.



Vista da Praia de Fora tirada da saída da Baía de Guanabara
no navio MSC Ópera e da placa indicativa que este é o local
da fundação da cidade.

Vista da Praça vendo-se na primeira uma parte do prédio da Escola de Educação Física do Exército e em ambas o sopé do
Morro do Pão de Açúcar.


Vista da praça em seu final encostada aos rochedos.


Vista da Praça, tendo ao fundo os morros do outro lado
da Baía em Niterói e a Fortaleza da Santa Cruz.

Marco da Fundação da Cidade

As seis fotos a seguir mostram o Marco da Fundação da Cidade localizado na parte central da Praça sob diversos ângulos. O Marco original encontra-se na Igreja de São Sebastião dos Frades Capuchinhos na Tijuca.

Na parte da frente do marco existe a seguinte inscrição: "Neste local, em 1565 foram lançados por Estácio de Sá os primeiros fundamentos da Cidade de São Sebatião do Rio de Janeiro. Marco comemorativo que mandou erigir o Primeiro Congresso de História Nacional, reunido por iniciativa do Instituto Histórico e Geographico Brasileiro. 7 de Setembro de 1914". Neste Congresso foi debatido pelos historiadores o local onde teria sido fundada a cidade, assunto que era motivo que controvérsias até então e ficou decidido que de fato o Morro Cara de Cão era o local da Fundação da Cidade do Rio de Janeiro.

Na parte de trás do marco existe a seguinte inscrição: "Homenagem dos Cariocas na data da fundação da sua cidade. Visita relembrada em 1932."

Vistas da Praça mostrando dois dos canhões que nela estão em exposição: o Armstrong e o Blomefield. Na primeira
foto pode se ver ao fundo a Fortaleza de Santa Cruz.


Vistas de instalações atuais, rodeadas pela muralha antiga do Fortim.


Vista da Pórtico original do Fortim.

Vista dos rochedos ao final da Praça.
Continua na página BOTAFOGO - BAIRRO DA URCA -
MORROS DA URCA E DO PÃO DE AÇÚCAR
 




Retorna à página BOTAFOGO
Retorna ao início da página